22/09/2016

Cláudia Mestre

Conheci a Cláudia Mestre no único Encontro USkP em que não desenhei, o da Praça da Alegria, que depois culminou no lançamento do livro da Marta Teives. Nesse dia não fiz um único desenho, só conversei.
A Cláudia é uma das pessoas de quem mais gosto nisto dos desenhos em cadernos. Ando a adorar os seus recentes desenhos de pessoas, as estórias e a caligrafia encantadora que faz com um pau de cana a molhar em ecoline. Acho que nunca a tinha desenhado. Fi-lo na passada 6ªF, a caminho do Porto, sentados lado a lado no inter-cidades. A Cláudia foi também a grande vencedora do nosso primeiro GO SKETCH, e acho que foi muito, mas muito merecido. Fartou-se de desenhar e foi uma óptima companhia.

I met Claudia Mestre in one USkP meeting, the single one that I did not draw, the Praça da Alegria meeting, which later ended in the launch of Marta Teives book. On that I day did not make a single drawing, I only talked.
Claudia is one of the persons who I like more drawings in this sketchbooks thing. I love her recent drawings of people, the stories and the lovely calligraphy using a cane stick with ecoline. I think I had never drawn her. I did it last Friday on the way to Oporto meeting, seated next to me in the train. Claudia was also the winner of our first GO SKETCH, and I think it was very, very well deserved. She draw a lot and she is also a great friend.


20/09/2016

Ribeira - Porto

A propósito deste dia, deste lugar e desta situação, a minha amiga Carla Silveira escreveu um post delicioso em que dizia que um Urbansketcher é um pedinte. Pede que não o pisem, que não tropecem nele, pede que não sujem o chão das cidades onde nos sentamos, pede que não nos expulsem de sítios. Um urbansketcher só pede para passar despercebido... bem, nem todos.

Quando escolhemos um lugar para desenhar, somos umas espécie de cães à procura do melhor pneu de carro para urinar. Farejamos e roçamos-nos nas paredes e tudo. Não temos vergonha alguma, metemos conversa com quem já está no chão a desenhar, elogiamos-lhe o spot, invejosos daquele pedacinho de lajedo de pedra. 

Este desenho foi feito na Ribeira do Porto, este Sábado, hiper animada de gente e músicas descontroladas que saiam de todos os sítios. Farejei os cantinhos todos, e achei que não haveria problema em sentar-me, confortavelmente, num assento de uma vespa, estacionada junto da parede. Comecei o desenho, e daí a nada, um rapaz chegou-se "à minha beira" apontando-me o dedo indicador que abanava de um lado para o outro:
"Esta moto é sua?", perguntei.
"Hã-hã", disse-me sem tirar os óculos de sol dos olhos. 
Pedi muita desculpa, envergonhado, saindo de mansinho daquele assento fofinho em pele preta. Sentei-me no chão, a pensar no atrevimento que tinha atravessado a minha mente. 
E é isso, um urbansketcher é um pedinte e ao mesmo tempo um malandro.

In this Saturday, about the place and the situation, my good friend Carla Silveira wrote a delicious post saying that an Urbansketcher is beggar. We asked not to step on us, or stumble, a not to put garbage on the floor where we sit, etc. An urbansketcher only ask to be unseen... well, not all.

When we chose a place to draw, we are a kind of dogs, looking for the best tire to urinate. We smell and we touch the walls. We have no shame, we spoke with others already on the floor, praise him the spot, with envy of that smal sqm of stone.

This drawing was done in Oporto Ribeira, this Saturday, hyper animated with uncontrolled music and people, coming from everywhere. I sniffed all places, and I thought there would be no problem if I sit comfortably in a seat of a scooter parked next to the wall. I started the drawing, and then a young man came up close to me, finger pointing the indicator moving from one side to the other:
"This motorcycle is yours?" I asked.
"Hã-hã," he said.
I said sorry, ashamed. I sat down in the floor, thinking on the wrong idea that had crossed my mind.
And that´s it, a urbansketcher is a  Beggar and a scoundrel.



Créditos fotográficos: Carla Silveira

15/09/2016

Patrícia Mamona

Adoro os jogos olímpicos!
Existem modalidades que não me aquecem nem arrefecem, mas outras são simplesmente fantásticas, como quase todas as de atletismo. As férias são óptimas para ver emissões de jogos olímpicos de empreitada, nem que seja pela noite dentro. Neste desenho, por volta da uma da manhã, eu e os meus filhos estávamos bem acordados para ver a final do triplo salto feminino, com uma bonita portuguesa a ficar em sexto lugar.

I love the Olympics!
There are some modalities that I dont like that much, but others are simply fantastic, as almost all from the athletics. Vacations are great to see live tv in a row, even late night. In this drawing, around one in the morning, me and my kids were wide awake to see the final of the female triple jump competition, with a beautiful Portuguese ending in 6th place.


14/09/2016

Triplo salto

Neste Domingo ainda havia a esperança de uma medalha no triplo salto...
In this Sunday, we still had some hope in an Olympic medal in the triple jump...


12/09/2016

FAMILY TIME # 63

Enquanto Vasco jogava computador, a Susana via um daqueles programas de cirurgias estéticas...
While Vasco was playing the computer, Susana was watching one of those plastic cirurgy programs...