31/03/2015

Tasca "O papagaio"

Sábado ao almoço, depois do workshop com a Inma Serrano.
Saturday lunch time, after Inma Serrano´s workshop.


27/03/2015

O anti-social

Às vezes acontecem-me serões assim. Um grupo de amigos daqueles bons, reunidos em volta de uma mesa cheia de coisas apetitosas, e um belo vinho tinto do Dão. E depois o anti-social do costume, a desenhar cada pessoa com detalhe, distraído nas conversas, e esquecido do resto de comida no prato. Francamente...

Sometimes I have evenings like this. A real group of friends, around a tasty table, and a fantastic Dão red wine. And then, the anti-social guy as ususal, drawing others with detail, not listening to the conversations, and forgeting the remaing food on the plate. Shameless...



23/03/2015

Desenho cego e linha contínua

Sentados lado a lado, e virados entre si. Primeiro um desenho cego, captando o rosto do vizinho sem olhar para o papel, e depois linha contínua, com o mesmo colega de carteira. O resultados foram impressionantes. Depois de 2 horas tão intensas e recompensadoras, prometi que voltava, e dessa vez com mais tempo, e que dê para desenhar cada um deles no seus cadernos.

Sitting side by side, facing each other. First a blind drawing, capturing the neighbor's face without looking at the paper, and then continuous line, with the same colleague. The results were impressive. After 2 hours so intense and rewarding, I promised to come back, and this time with more time, to allow to draw each one of them in their sketchbooks.





22/03/2015

Desenhos com vida, corpo e textura

Depois de me conhecerem através dos desenhos, projectados em tamanho grande na parede, foi tempo de folhearem alguns dos cadernos que levei comigo. Expliquei-lhes que os desenhos têm vida, corpo e textura, muito diferentes de uma fotografia. Disse-lhes para sentirem isso passando com as suas mãos pelas duplas páginas, percebendo a ondulação das folhas, vincadas pela caneta BIC e amassadas por lápis de cor aguareláveis. A sensação de partilha é das coisas melhores que podemos experimentar.

After meeting me through drawings, projected in large size on the wall, it was time to flip some of the sketchbooks I took with me. I explained to them that the drawings have life, body and texture, very different from a photograph. I told them to feel that going with their hands through the double pages, realizing the ripple of the sheets, creased by my BIC pen and crushed by watercoloured pencils. The sense of sharing is one of the best things we can experience.